"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

terça-feira, 6 de maio de 2014

O homem gay na terceira idade.

Hoje vou escrever sobre a atividade sexual do homem com mais de 60 anos e que viveu o boom da atividade sexual no final dos anos 60, principalmente no caso de uma relação heterossexual, com o aparecimento da pílula.

O homem gay desta época, quando iniciou sua vida sexual, não tinha que se preocupar com o uso de preservativos. O uso da camisinha passou a ser uma necessidade a partir dos anos 1980 com o aparecimento da AIDS e até então, muitos realizaram (quase) todas as fantasias sexuais sem o uso da mesma.

Apesar dos esforços de marketing para transformar o uso do preservativo como algo prazeroso (sabores, texturas, cores), os que um dia praticaram o ato sexual sem uso de preservativos, não conseguiram engolir esse chavão e passaram a utilizá-la por medo e não por prazer.

E envelheceram, muitos hoje fora de um relacionamento estável. Com o aparecimento de drogas que devolveram a vida sexual, hoje têm enorme dificuldade para fazer uso do preservativo. E com isso, as doenças sexuais transmissíveis (DST) estão aumentando nessa faixa etária. O índice de diagnóstico de sífilis aumentou em 52% acima dos 65 anos. A realização de exames para detecção do vírus HIV e outras DST, é tão frequente quanto a realização de exames de colonoscopia, um exame muito comum de ser solicitado ao idoso.
Sexo muitas vezes significa vigor, saúde, sucesso e os idosos cada vez mais têm atividade sexual. As drogas devolveram, ou mantêm, a capacidade para a realização do mesmo. Mas é importante que esse homens tenham ciência da necessidade do uso do preservativo e precisam ter acesso à essa informação, de que  está sendo observado, o aumento dos índices de DST nessa faixa etária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Registre aqui a sua dúvida, para que eu possa utilizá-la como ideia para um futuro post.