"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Saiba quando prostatites e uretrites, devem ser tratadas pelo casal.

Um leitor me indaga se pelo fato do parceiro dele estar com uma infecção urinária (no caso, uma prostatite que tudo indica foi adquirida pela penetração anal sem preservativo), se ele também deveria ser medicado. 

No caso das relações sexuais em que a penetração anal existe sem uso de preservativos, há sempre o risco de se contrair uma infecção urinária, como uma prostatite e/ou uma uretrite (que provoca corrimento pelo canal urinário). Isso porque a região do reto é colonizada por bactérias que ali precisam estar, indispensáveis ao metabolismo do intestino. E são essas as bactérias que entram pelo canal urinário do pênis e causam as infecções. 

Há também as infecções urinárias que podem ser adquiridas ao se receber sexo oral desprotegido de preservativos. Os agentes que causam as infecções são diferentes dos que existem na região retal e também não merecem tratamento.

É importante informar que no sexo com penetração anal e no no oral sem preservativos, há também o risco de se contrair infecções por Clamídia, por gonococos que causam a gonorreia e até mesmo vírus que causam os resfriados. Nessas situações, é necessário que ambos sejam tratados, caso contrário com o reinício da atividade sexual, o que não recebeu tratamento voltará a reinfectar o parceiro.

Respondendo então à pergunta do leitor, no caso da prostatite adquirida pelo hábito da penetração anal sem preservativos, não é necessário o cuidado com o tratamento dos dois. Mas volto a informar que é importante que anualmente ambos façam exames, mesmo se sentindo bem, que eliminem a possibilidade de infecções urinárias. Aproveite para realizar os exames de sorologia no sangue para descartar doenças com HIV, Sífilis, Hepatite B e Clamídia.

13 comentários:

  1. Prostatite bacteriana pode ser contraída por sexo oral? Ou somente pelo ativo no sexo anal?

    ResponderExcluir
  2. Doutor, para os q não fazem sexo anal, não há risco de se contrair a prostatite?

    ResponderExcluir
  3. O sexo anal aumenta o risco para se ter prostatite, mas não é a única forma de contraí-la.

    ResponderExcluir
  4. Tive uma relação sem proteção 1 mês atrás, de poucos dias pra cá sinto ardência ao urinar, e sai muito pouco uma secreção transparente, parecida com o pre cum, isso é uma uretrite ?

    ResponderExcluir
  5. Está parecendo que seja sim, uma uretrite.

    ResponderExcluir
  6. Doutor, gostaria de lhe fazer algumas perguntas e tirar algumas dúvidas, pela internet mesmo, podemos marcar um dia? Pago se for necessário

    ResponderExcluir
  7. Gostaria muito de poder te ajudar a a outros leitores que não se encontram em São Paulo, mas o atendimento via telefone ou vídeo conferência, não é permitido pelo Conselho Federal de Medicina, como o senhor poderá ler abaixo:
    1) CONSULTAS MÉDICAS E ORIENTAÇÕES EM SAÚDE

    A informação médica via Internet pode complementar, mas nunca substituir a relação pessoal entre o paciente e o médico. A Internet pode ser uma ferramenta útil, veiculando informações e orientações de saúde genéricas, de caráter educativo, abordando a prevenção de doenças, promoção de hábitos saudáveis, bem-estar, cuidados pessoais, nutrição, higiene, qualidade de vida, serviços, utilidade pública e solução de problemas de saúde coletiva.

    Pelas suas limitações, não deve ser instrumento para consultas médicas, diagnóstico clínico, prescrição de medicamentos ou tratamento de doenças e problemas de saúde. A consulta pressupõe diálogo, avaliação do estado físico e mental paciente, sendo necessário aconselhamento pessoal antes e depois qualquer exame ou procedimento médico.

    ResponderExcluir
  8. Olá, doutor.

    Na internet, há muitas informações contraditórias sobre sexualidade. Seu blog é um dos que sigo com mais assiduidade recentemente, por atribuir a ele uma grande credibilidade.

    Tenho uma dúvida, que pode ser também uma sugestão de futuro post. Eu vivo uma relação homossexual sorodiscordante (eu sou o soronegativo). A descoberta da soropositividade do meu parceiro ocorreu recentemente - esperei a janela imunológica de 30 dias, realizei testes rápidos para HIV, sífilis e dois tipos de hepatites, e todos eles deram negativos.

    Como ainda tenho bastante medo, as relações sexuais estão interrompidas. Não fazemos sexo anal nem sexo oral, por enquanto. Beijamos na boca, masturbamo-nos (sem que eu entre em contato com o sêmen dele) e praticamos nudding (com saliva, eu esfrego o corpo do meu pênis no ânus dele e sempre evito encostar a glande lá, muito embora isso tenha acontecido, muito rapidamente, uma vez ou outra).

    Dia desses, porém, tive uma uretrite. Fui ao médico em uma UPA e ele me receitou alguns medicamentos, que estou tomando. Ele não pediu exame algum, baseando o diagnóstico no meu relato. Certamente, contraí alguma bactéria da região anal externa do meu parceiro, o que provocou a infecção.

    Meu grande medo é contrair o HIV por essa prática. Em todas as vezes, a pele do corpo do meu pênis e da minha glande estava íntegra. Meu parceiro, contudo, apresentou dia desses uma pequena fissura do lado externo do ânus, mas sem sangramento aparente, de modo que continuamos a praticar nudding.

    É possível que eu contraia HIV diante desse contexto que expus, doutor? Pode haver alguma relação entre a uretrite e o HIV?

    Espero que o doutor possa me ajudar a compreender melhor tudo isso!

    Obrigado!






    ResponderExcluir
  9. Não acho que a uretrite e o HIV estejam relacionados no seu caso. Se o seu companheiro estiver com a contagem de vírus zerada na corrente sanguínea, acredito que o que o senhor faz com ele, não o exponha. Mas caso ele esteja com carga ainda detectável, o atrito intenso da sua glande a qualquer área de mucosa anal ou peniana que possa criar uma fissura na pele, e portanto criar uma porta de passagem, possa permitir a sua contaminação pelo vírus HIV.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos esclarecimentos, doutor! E, mais uma vez, parabéns pelo blog!

      Excluir
  10. Boa noite doutor. Tenho uma dúvida que gostaria de tirar com
    O senhor através de seu blog o qual tenho como confiável e muito esclarecedor. Quinta feira passada 20/10/2016 fui diagnosticado por um colega seu com epididimite. Tenho 42 anos e nunca tive isso na vida. Acontece que nesse ano de 2016 eu me envolvi com um rapaz e por descuido eu pratiquei sexo sem
    Preservativo . Isso tem mais ou menos uns 4 meses. E possível eu ter desenvolvido essa epididimite somente agora por clamidia que estava no meu organismo esse tempo todo e só se manifestou agora em outubro? Devo descartar está possibilidade ?
    O urologista que fui me receitou a doxiciclina por 14 dias junto com o Flancox por 20 dias mas não passou exame de sangue pra detectar se a causa desta infecção foi por clamidia. Passou porém uma ultrasonografia do saco escrotal com Doppler . O que o senhor acha que devo fazer ? Procurar outro urologista pra me prescrever exame de sangue e ouvir uma segunda opinião ?
    Muito obrigado doutor .

    ResponderExcluir
  11. Sugiro que o senhor ouça uma segunda opinião.

    ResponderExcluir

Registre aqui a sua dúvida, para que eu possa utilizá-la como ideia para um futuro post.