"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Saiba alguns dos efeitos colaterais com a terapia com testosterona.

As evidências científicas cada vez mais apontam para um futuro, em que todos os homens receberão terapia para reposição do hormônio testosterona.

A postagem de hoje vai citar alguns dos efeitos colaterais com essa terapia, que pode ser por via oral, injetável ou de absorção pela pele.

1) Coceira e/ou irritação na pele: decorrente do contato do gel ou patch aplicado, causando o sinal. Mais comum com o patch.

2) Aumento dos pelos no corpo.

3) Ondas de calor súbito, conhecido também como hot flash.

4) Alterações nos níveis do colesterol no sangue.

5) Alteração na contagem dos glóbulos vermelhos no sangue.

6) Ganho de peso.

7) Aumento das mamas, conhecido como ginecomastia. Inclusive nos casos de tumor de mama no homem, a terapia pode ser contra-indicada.

8) A pele pode ficar mais oleosa e aumentar a incidência de espinhas (acne).

9) Diminuição na contagem de espermatozoides.

10) Há suspeitas que possa de alguma forma, ainda não totalmente comprovada pela ciência, de acelerar o crescimento da próstata, tumores inclusive.

11) Distúrbios no sono, como apneia (parar de respirar enquanto dorme).

12) Passar por contato, a testosterona para outra pessoa. O gel quando aplicado na pele, até mesmo aquela quantidade residual que fica na mão após a aplicação, pode ser "transmitido" para outra pessoa no contato físico.

Cada um desses itens acima merece uma postagem específica devido à complexidade do assunto. Mas eles servem como exemplo do porquê ser necessário, uma avaliação médica para a correta orientação no tratamento com uso de testosterona.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Medicamentos afrodisíacos valem a pena?

Existem muitos medicamentos no mercado nacional chamados de afrodisíacos, que prometem melhora da performance sexual.

Há séculos que homens procuram por alimentos e medicamentos que aumentem o desejo e a performance sexual. Infelizmente muitos estudos com esses produtos acabam levando à conclusão de que muitos são inúteis.

Mas há alguns que realmente atuam melhorando o comportamento sexual masculino. São eles:

1) Ginkgo Biloba
2) Ginseng
3) Maca
4) Tribulus terristris
5) Argin Max (para homens)

Homens devem sempre consultar seus médicos para saber se há riscos associados à esse tipo de terapia, uma vez que algumas delas podem agravar distúrbios já existentes. Por exemplo, o Ginkgo Biloba pode potencializar drogas anticoagulantes e o Ginseng pode acelerar o desenvolvimento de tumores pré-existentes (mama é um deles).

E lembrar que há desordens comportamentais (estresse, fadiga, ansiedade) e de saúde corporal (Diabetes, doenças cardiológicas) que podem ser os responsáveis pelo mau desempenho sexual.

terça-feira, 28 de março de 2017

Saiba porque o pênis muda com o envelhecimento.

É uma queixa do dia a dia no consultório. Todo homem nota e se preocupa, com as mudanças, que se observam no pênis a medida que se envelhece. Mudanças no aspecto visual e na função.

Quando o homem atinge os 40 anos, começa a haver declínio natural da produção do hormônio masculino (testosterona) e que pode afetar o pênis. Há doenças que também podem começar a aparecer, como diabetes e doenças cardiológicas, que irão comprometer o fluxo de sangue para o pênis. 

Alterações visuais que podem ser comuns: se há diminuição no fluxo de sangue, no homem branco a cor pode começar a mudar para um rosa mais claro. O pênis pode encolher por diminuição do fluxo de sangue e também pela queda na produção da testosterona. Sem contar que o ganho de peso leva a um aumento de gordura na região dos pelos pubianos, pode embutir o pênis e diminuir o comprimento exposto.

Com a queda hormonal, o testículo pode diminuir de tamanho e vir a ficar mais baixo, mais pendurado. 

O pênis pode ficar curvo devido a doenças que provocam tortuosidade à ereção, algumas vezes de forma bastante dolorosa, como no caso da Doença de Peyronie e que pode até impedir o ato sexual.

No sexo, o homem que envelhece percebe que há necessidade de um maior estímulo para a excitação, para o início da ereção e até mesmo para que ocorra o orgasmo. A impotência sexual pode se instalar, principalmente se há doenças cardiológicas e/ou diabetes.

Problemas urinários podem aparecer se há um tipo de aumento da próstata que comprime o canal urinário, dificultando a saída de urina da bexiga. Homens com esse tipo de problema tendem a urinar mais vezes.

Com essa consciência, homens nessas situações devem conversar com seus urologistas, pois muito do que foi relatado acima pode ser evitado e/ou amenizado com terapias e adoção de hábitos saudáveis, como dieta equilibrada, atividade física regular e controle do peso corporal. Essas mudanças podem ajudar o homem a manter seu peso e diminuir a probabilidade do aparecimento de doenças cardiológicas e diabetes, que irão comprometer o desempenho sexual.

É importante conversar com o parceiro sexual e se há uma diferença de idade entre eles, o mais novo precisa ter consciência do que pode acontecer com um parceiro sexual que esteja acima dos 40 anos e procurar entender essas mudanças. Se vivos, todos os homens chegarão lá!

terça-feira, 14 de março de 2017

Os pelos pubianos devem ou não ser retirados?

A decisão pela retirada dos pelos pubianos é mais pessoal, embora muitos se depilem a pedido do parceiro sexual. Mas a decisão da retirada na maioria das vezes é tomada mais por um motivo estético do que pela saúde. 

Há pessoas que relatam que a retirada dos pelos diminui o cheiro decorrente do suor, o chamado CC (cheiro de corpo). Há outros que garantem que a retirada deles aumenta o prazer sexual.

O importante aqui vai ser alertar para possíveis consequências desse hábito de raspar os pelos pubianos.

1) Queimadura local: por irritação da lâmina de barbear, ou por reação química a alguns cremes de depilação ou até mesmo por cera quente.

2) Alergias: por contato com os agentes químicos contidos no produto utilizado para a depilação.

3) Cortes na pele: tanto pelo barbeador elétrico, como pelo manual. Alguns cortes podem ocorrer em áreas de difícil cicatrização e incomodarem bastante. Outros podem passar despercebidos e criarem uma fragilidade na proteção da pele à entrada de agentes infecciosos.

4) Infecções: foliculites (inflamação aonde nasce o pelo), infecções causadas por bactérias do tipo estafilococo e/ou estreptococo e até mesmo facilitar a transmissão do herpes genital de um parceiro contaminado.

Então, tomada a atitude de aparar ou retirar todos os pelos pubianos, cuidado ao realizar o ato, chamado de tricotomia.