"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Jogar videogame tem impacto na vida sexual do homem.

Um trabalho recentemente divulgado, informa que o hábito de jogar videogame interfere na vida sexual do homem. Foram avaliados 396 homens, sendo que 9.2% se declaram homossexuais.

Os homens foram divididos em jogadores frequentes, aqueles que têm o hábito de jogar videogame pelo menos 01 (uma) hora por dia, e não frequentes, que têm o hábito de jogar menos. Questionários foram preenchidos pelos dois grupos, com o objetivo de avaliar a qualidade da vida sexual deles.

No grupo de jogadores frequentes, observou-se um índice menor de ejaculação precoce quando comparado com o outro grupo. Mas também observou-se um menor desejo pela realização do ato sexual.

Acredita-se que o prazer de jogar videogame, principalmente se há muitas vitórias, tenha efeito no sistema dopaminérgico do organismo do homem. E como esse sistema envolve a sensação do prazer, o interesse por ter o ato sexual é menor e ao mesmo tempo, o alívio do estresse com o ato de jogar frequentemente, diminui a tensão e sendo assim, diminui os riscos de se observar ejaculação precoce. Sabe-se que a ejaculação precoce tem muita relação com o estado de ansiedade, minimizado naqueles que têm o hábito de jogar frequentemente.

Os cientistas acharam os resultados curiosos, mas alertam que mais estudos são necessários. Clique aqui e leia a matéria original sobre o assunto.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Massageador da próstata.

O massageador de próstata vem sendo muito difundido ultimamente. É um equipamento para ser inserido no ânus do homem e que promete um estímulo interno, capaz de levar ao orgasmo.

Existem vários modelos e o do lado é um dos mais conhecidos. O homem coloca ele mesmo o massageador no ânus e através de contrações do períneo e do ânus, após muito treino, consegue um orgasmo muitas vezes mais prazeroso.

Como mostra a foto embaixo dessa postagem, a extremidade superior é inserida no ânus e deve tocar a próstata. A base fica apoiada no períneo (região entre o ânus e a bolsa escrotal) e no sulco entre as nádegas.

A introdução deve ser acompanhada de muita lubrificação. Não deve haver resistência com atrito para a entrada do  massageador. O máximo a ser introduzido do massageador é normalmente de 10 cm, o suficiente para a que a extremidade toque a próstata.

A maioria dos usuários prefere a colocação deitado de lado, ficando o lado a ser escolhido dependendo do usuário ser destro ou canhoto. A introdução deve ser lenta e após posicionado, o paciente deve encontrar uma posição em que a permanência do massageador seja confortável.

Em seguida, manobras de contração do períneo e do ânus devem ser iniciadas e espera-se que nessa hora a extremidade do massageador comprima a próstata, trazendo prazer e até mesmo o orgasmo. Importante realçar que a sensibilidade varia de pessoa para pessoa e não é sempre que alguém conseguirá o orgasmo. A prática vai tornando essa possibilidade maior. No início pode não haver prazer nenhum e com  o tempo, a situação muda.

Não se recomenda o uso frequente do massageador, devendo haver um intervalo de 2 a 3 dias para repetir o uso. O mais importante é caprichar na lubrificação e os lubrificantes a base de água são os mais indicados, uma vez que óleos e lubrificantes a base de petróleo podem esquentar e gerar sensação de queimação desagradável.

terça-feira, 25 de julho de 2017

HPV: esclarecendo algumas dúvidas.

Muito já se falou sobre HPV (Human Papiloma Virus) neste blog, mas muitas perguntas continuam chegando, por isso resolvi falar de forma bem sucinta sobre o assunto.

O vírus HPV costuma se manifestar através do aparecimento de verrugas, geralmente nas áreas genitais e ,como recentemente descrito neste blog, também tem infectado a região da garganta (orofaringe).

O tratamento consiste na retirada dessas verrugas, seja através de substâncias de uso tópico, aplicadas diretamente sobre a verruga, ou através da retirada cirúrgica das mesmas.

O diagnóstico do HPV é através de exame patológico (há necessidade de uma biópsia da lesão), não há exames de sangue que façam e confirmem a contaminação pelo vírus. 

A cura pela infecção é possível e geralmente espontânea, com o passar dos anos. Uma vida saudável, equilibrando bem trabalho com descanso, boa alimentação e atividade física regular ajudam nessa tarefa. Mas as lesões precisam ser eliminadas.

A vacina contra o vírus HPV, criada para proteger as meninas do câncer do colo de útero, hoje também é administrada aos meninos, preferencialmente antes do início da vida sexual, devido ao aumento de casos de câncer na orofaringe por este vírus. A vacina protege contra os 4 tipos de vírus mais relacionados ao aparecimento do câncer. Adultos também podem ser vacinados, mas se já houver a chance da contaminação pelos vírus, não haverá benefícios.

Na presença de lesões na região anal e genital, procure um médico para diagnóstico e tratamento. A vacinação pode ser feita em clínicas especializadas e geralmente requer um pedido médico.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Sexo oral e câncer.

Nem todo câncer na região oral é causado pelo sexo oral, mas quando existe essa relação, foi causada por uma Doença Sexualmente Transmissível (DST): o papiloma vírus (HPV= human papilloma virus).

O câncer da região oral pode aparecer na garganta, no palato, na faringe, nas amígdalas e na língua. Fazer sexo oral em regiões acometidas por verrugas causadas pelo HPV é a forma de contaminação. O pênis e o ânus são regiões onde as verrugas causadas pelo HPV podem ocorrer, embora o meio mais propício para o crescimento desse vírus seja a vagina. Se não há cura da doença localmente, a região pode passar por alterações celulares e nesse caso surge um câncer. O vírus tende a se instalar por onde ele entra, ou seja, se a contaminação da região oral pelo vírus foi pelo sexo oral, as manifestações da doença tendem a ser aí.

A forma de prevenção é evitar o contato com as verrugas na prática do sexo oral. Cobrir uma região possivelmente contaminada com um preservativo ou filme de PVC á a solução. Diminuir os parceiros sexuais e conversar com eles sobre sua saúde sexual também é um fator que minimiza a transmissão. Como sabemos que essa conversa nem sempre é possível ou muitas vezes é constrangedora, casais podem se beneficiar com avaliações médicas anuais, quando DSTs, como HPV, serão descartadas.