"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Medicamentos e impotência sexual.

A impotência sexual pode ser decorrente da terapia com alguns medicamentos. Sabemos que cada vez mais na vida moderna,inicia-se uma terapia para ansiedade e/ou  depressão. Essa postagem vai listar alguns medicamentos que têm como efeito colateral, problemas no ato sexual.

1) Ansiolíticos (ex= Rivotril)
2) Anti-epiléticos (ex= Gardenal)
3) Antidepressivo (ex= Prozac)
4) Anti-histamínico (ex= loratadina)
5) Antipsicóticos (ex= clorpromazina)
6) Benzodiazepínicos (ex= Lorax)
7) Drogas para controle da pressão arterial elevada, incluindo os diuréticos
8) Quimioterapia oral
9) Medicamentos com estrogênio
10) Finasterida
11) Anti-inflamatórios não-esteroides (ex= diclofenaco)
12) Drogas para controle da Doença de Parkinson
13) Opioides (ex= Tramal)
14) Drogas para tratamento do câncer de próstata.
15) Bebida alcoólica e drogas de uso recreacional (ex= maconha, cocaína, heroína, nicotina)

Muitos dos medicamentos acima podem parecer óbvios causarem impotência sexual, mas muitos que são prescritos tão frequentemente e que parecem inofensivos, como os ansiolíticos cada vez mais prescritos, podem afetar a vida sexual do homem. Caso você venha observando dificuldade para ato sexual e esteja em uso de algumas das substâncias acima, aconselho conversar com o médico que te acompanha para relatar o problema

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Problemas que podem ocorrer na ejaculação.

Todo homem um dia vai enfrentar problemas para ejacular. Quanto mais cedo isso ocorrer, mais pode afetar a vida sexual dele. Veja abaixo, algumas desordens que podem afetar a ejaculação.

1) Ejaculação precoce: também chamada de ejaculação rápida, é a ejaculação que pode ocorrer assim que se inicia o ato sexual, mesmo antes da penetração. Pode se manifestar desde o primeiro ato sexual do homem ou posteriormente. Sabe-se que 30% dos homens um dia irá enfrentar esse problema, mas apenas 10% irá procurar auxílio médico para o tratamento.

2) Ejaculação retardada: é aquela que apesar de uma boa ereção e excitação, a ejaculação demora muito para acontecer. De 1 a 4% dos homens sofrem desse problema, podendo se manifestar desde o primeiro ato sexual ou passar a existir com o passar do tempo.

3) Anejaculação: o homem não consegue ejacular. Pode ser algo que acontece sempre ou sob certas circunstâncias.

4) Ejaculação retrógrada: é a ejaculação em que o esperma, após o orgasmo, migra para a bexiga ao invés de seguir o caminho do canal urinário e ser eliminado pelo pênis. O esperma é colocado para fora quando o homem urina. Os sinais que isso pode estar ocorrendo, seriam a diminuição progressiva do volume ejaculado, assim como a pressão de saída do esperma.

As desordens de ejaculação podem acontecer isoladas ou em conjunto, por exemplo, ejaculação precoce e retrógrada. Toda desordem de ejaculação merece uma avaliação médica e o profissional que você primeiro dever procurar é o médico urologista.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Anorexia sexual.

Sim, também existe anorexia para o sexo, ou seja, a pessoa vitimada, que tanto pode ser um homem como uma mulher, para de fazer sexo. Não quer de forma alguma ter sexo. É uma doença comportamental que pode ter como causa uma condição religiosa ou um trauma sexual (abuso, estupro, exposição vergonhosa), até mesmo uma traição amorosa. O sexo passa a ser preterido.

Comportamentos que podem ser observados em pessoas acometidas pela anorexia sexual:

1) Isolamento social, bloqueio às relações sentimentais.
2) Evitar qualquer situação relacionada ao sexo, com comportamentos muitas vezes autodestrutivos.
3) Medo do contato sexual.
4) Sentir vergonha das experiências sexuais já vividas.
5) Pavor de Doenças Sexualmente Transmissíveis.
6) Péssima imagem corporal de si próprio.
7) Sensação de inadequação ao sexo.
8) Obsessão pelo comportamento sexual das outras pessoas.

Anorexia sexual é uma doença que, quando existente, deve ser tratada como um distúrbio de comportamento e os profissionais mais indicados para se consultar, são os psiquiatras e psicoterapeutas.


terça-feira, 24 de julho de 2018

Masturbação e impotência sexual.

Masturbação pode levar à  impotência sexual? Esse é o assunto desta postagem.

Masturbação é uma prática comum de se proporcionar prazer e que não costuma causar nenhum dano físico ao pênis. Pode ser praticada sozinha ou com o seu parceiro, principalmente nas situações em que a  penetração não pode ser praticada, seja temporária ou permanentemente.

A masturbação não costuma levar à impotência sexual por lesões que envolvam nervos, hormônios e vasos sanguíneos do pênis , mas a forma como a masturbação é praticada pode causar alguns distúrbios comportamentais e assim, dificultar o ato sexual. As ereções no ato sexual podem não ser tão rígidas como na masturbação, assim como a excitação.

Por exemplo:

1) A forma como um homem se masturba pode levar a um estímulo do pênis que causa o orgasmo, onde num ato sexual esse mesmo homem não consegue. A força de uma mão, não necessariamente é a mesma do ato sexual, seja oral e/ou com penetração.

2) Os estímulos visuais que levam ao orgasmo pela masturbação ao ver sozinho um filme pornô, podem gerar uma dificuldade na hora do ato sexual, caso o parceiro não consiga satisfazer as fantasias sexuais que os vídeos sugerem. 

Nessas duas situações ensinar o seu parceiro a te masturbar do jeito que você curte e conversar sobre realizar as fantasias sugeridas pelos filmes pornôs, podem ser uma solução. Mas muitas vezes é necessário o auxílio de um terapeuta para ajudar esse homem com essas dificuldades, a encontrar o prazer também no ato sexual.