"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Sexo e envelhecimento.

Cada vez vivemos mais e com isso queremos prolongar nossa vida sexual. Estudo recente mostrou que a vida sexual do homem diminui com o envelhecimento, mas alguns são mais afetados do que outros. O estudo perguntou aos envolvidos como estava a atividade e o desejo sexual atualmente, comparado àquele de 10 anos atrás. Todos responderam que diminuíra, mas alguns mais do que outros.

Fatores observados que contribuíram para que o envelhecimento não comprometesse tanto a perda de interesse pela vida sexual:

1) Boa saúde emocional e física.
2) Ter vida social.
3) Satisfação em viver.

Homens envolvidos num relacionamento que o façam feliz, que mantêm  atividade física regular, não sofram de depressão, que se envolvem socialmente com pessoas regularmente e têm alegria de viver, tendem, ao envelhecer, a manter uma vida sexual melhor. Fica a dica!



domingo, 23 de dezembro de 2018

Boas Festas!!!

Desejamos a você, nosso leitor, que as festas de final de ano sejam uma comemoração pelas conquistas deste ano e ao mesmo tempo, uma ação de otimismo para que em 2019 você continue a progredir, aproveitando as chances de praticar todos os ensinamentos que o Natal nos faz lembrar que existem.

Um Feliz Natal!
Feliz 2019!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Estações do ano e sexo! Tem a ver?

Sim, alguns homens podem ter a sua vida sexual comprometida, dependendo da estação do ano. Conhecida com Desordem Afetiva Sazonal (DAS), esse tipo de distúrbio de comportamento pode gerar depressão, queda do libido, dificuldade de ereção, fadiga, insônia (ou sono em excesso), ganho ou perda de peso, dificuldade de concentração. Essas são algumas das manifestações observadas nas pessoas afetadas pela DAS.

Na maioria das vezes a desordem se manifesta no inverno e no outono, mas às vezes pode ocorrer também tanto na primavera, como no verão. Tudo parece estar relacionado à exposição solar, que tem papel importante na produção corporal de hormônios como melatonina e serotonina.

Além de queda de libido e dificuldade para ereção, o homem pode se sentir cansado e indisposto para uma relação sexual, podendo apresentar dificuldade para ter o orgasmo. E o quadro pode ser agravado se há alguma terapia associada, como para depressão, pois sabemos que alguns antidepressivos podem afetar o comportamento sexual.

Como tratamento, que é sempre individualizado para cada paciente, opções como fototerapia, terapia cognitiva comportamental e alguns tipos de antidepressivos costumam oferecer bons resultados, mas é importante ter conhecimento desse tipo de distúrbio e procurar um médico para uma avaliação específica de cada caso.

E algumas mudanças de hábito também podem fazer bem, como socializar-se mais com os amigos, conversar com o parceiro sobre esses sintomas, atividade física regular e manter a intimidade sexual com o parceiro com masturbação, beijos, carícias.

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Como o tratamento do câncer de próstata pode afetar a vida sexual do homem gay.

Impotência sexual, queda do libido, problemas com o orgasmo, alteração na ejaculação, são ocorrências frequentes após um tratamento de câncer na próstata. Parece que esses problemas afetam de forma diferente homens gays e heterossexuais.

A relação com penetração anal exige que haja uma boa rigidez peniana do ativo. O impacto na qualidade da ereção vai comprometer o ato sexual.  Se o homem ativo do casal, quando há essa divisão, não consegue ter uma boa ereção, ele talvez tenha que passar a ser o passivo e nem sempre essa mudança é confortável para o casal.

Homens passivos também podem passar a ter problemas decorrentes de um tratamento com radioterapia, que pode causar lesões no ânus e gerar dores fortes na região durante a penetração, muitas vezes impedindo o ato sexual. E muitas vezes a retirada da próstata por uma cirurgia, pode comprometer o prazer sexual do homem passivo.

Homens gays com impotência sexual e dor anal podem ter a vida sexual totalmente comprometida, quando o ato de penetração é importante. Mas sabemos que há muitos casais que se relacionam, sem penetração, atendo-se ao sexo oral e à masturbação. Nesse caso, desordens de ejaculação podem ser um problema quando para um parceiro, é importante  ver a ejaculação ocorrer e num tratamento de câncer de próstata, o homem pode parar de eliminar esperma ao ter o orgasmo.

A qualidade do orgasmo também pode mudar, muitas vezes se tornando menos prazerosa, mais difícil de ser atingida e algumas vezes acompanhada do escape de urina.

Todos esse possíveis problemas citados, podem ter um impacto emocional sobre a vida sexual do homem que foi submetido ao tratamento do câncer de próstata. Ansiedade, depressão, baixa auto-estima vão contribuir para uma piora no desempenho sexual. Sem contar que muitos homens gays não se sentem confortáveis em expor a sua sexualidade para os seus médicos, o que piora mais ainda.

É importante que homens afetados por essas situações procurem ajuda, uma vez que avaliação emocional e tratamentos médicos, podem ajudar o homem a contornar essas situações e trazer de volta uma vida sexual adequada ao novo estado de saúde.