"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Não se deixe ser humilhado por um médico homofóbico!

Hoje vou escrever sobre um assunto muito delicado: homofobia na Medicina. E se escrevo, é poque tenho relatos diversos de atitude de homofobia citados pelos meus pacientes.

No Brasil homofobia é crime, mas alguns colegas médicos parecem desconhecer isso ou no alto do pedestal da profissão, se consideram aptos a dar conselhos e repreender pacientes pela orientação sexual que têm, imunes a qualquer retaliação.

O médico tem que estar pronto para ouvir sua queixa, colher informações, te examinar com todo o respeito como qualquer paciente merece e depois, conversar contigo, expondo hipóteses de diagnóstico e possíveis tratamentos.

Escuto de pacientes situações em que médicos passam sermão quando eles expõem a orientação sexual. 

Há médicos que mal continuam a conversa e já vão querendo terminar a consulta rapidamente. 

Há outros que fazem insinuações com piadinhas constrangedoras e de mau gosto, na hora de um exame de próstata. 

E há aqueles que já vão logo solicitando exame de HIV, pois acham que todo homem gay é soropositivo para o vírus HIV.

Se você foi, ou se um dia for, vítima de uma atitude como essa, denuncie ao Conselho Regional de Medicina de seu estado. Hoje em dia na maioria das cidades do Brasil há profissionais que irão te atender com o maior respeito e muito preparados com as situações difíceis, particulares do sexo entre homens, que podem acontecer.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Ejaculação precoce: invista em atividade física para melhorar!

Homens que sofrem de ejaculação precoce, podem se beneficiar com o aumento da atividade física nos tempos livres.

A ejaculação precoce, também conhecida como ejaculação rápida, pode existir desde o primeiro ato sexual do homem ou passar a se manifestar depois. A definição é que a ejaculação ocorre rapidamente, normalmente em menos de um ou em até três minutos, após a penetração.

Aqui nesse blog já escrevi sobre os recursos que hoje existem para nós médicos tentarmos auxiliar nossos pacientes. Um novo estudo realizado na Finlândia (clique aqui para ter acesso ao estudo) vem trazer mais uma informação, que talvez leve à mudança do padrão de tratamento dessa enfermidade.

O estudo mostra que homens que fazem menos atividade física, tendem a se queixar mais de ejaculação rápida. Cientistas acreditam que homens que se exercitam com regularidade, tendem a apresentar uma melhora da estética corporal o que consequentemente pode levar a uma melhora na auto-estima e da saúde em geral.

Como exercitar-se é sempre bom, sugiro que aqueles que sofrem de ejaculação rápida, procurem aumentar a atividade física nos tempos livres. Ainda não é uma regra, mas com certeza ocorrerá uma melhora, ou no mínimo manutenção, da saúde corporal e mental.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Outras opções para o tratamento da impotência sexual.

Nem todo homem consegue resolver o problema de impotência sexual com os comprimidos disponíveis para o tratamento da disfunção erétil, a terapia mais utilizada hoje em dia. Embora Cialis, Levitra e Viagra (só para citar os mais conhecidos) ainda sejam muito eficazes, há pacientes que não podem utilizá-los, ou não respondem à terapia, ou deixam de obter os efeitos com o passar do tempo.

E o que oferecer para esses pacientes, principalmente com uma expectativa de vida do ser humano cada vez maior? Vou escrever um pouco sobre cada uma delas:

1) Injeções intra penianas: o próprio paciente é treinado para se auto-aplicar uma injeção no corpo do pênis, que contém uma substância que promove a ereção (papaverina, fentolamina, prostaglandina).

2) Aparelho para ereção a vácuo: são aparelhos muito conhecidos, que devem ser utilizados no máximo por 10 minutos, que com o auxílio do vácuo e compressão mecânica do pênis com banda elástica, permitem uma ereção melhor. 

3) Supositório intra-uretral: terapia com o mesmo efeito que as injeções intra penianas, só que menos agressiva. Um supositório que contém alprostadil (um dilatador de vasos sanguíneos) é colocado dentro do canal urinário pela extremidade do pênis. Essa terapia não está mais disponível no Brasil e era conhecida como MUSE.

4) Prótese peniana: é a última opção. Para quando o paciente não responde, ou não se adapta, às três opções acima. Há próteses rígidas, semirrígidas e infláveis (essa última mantém um aspecto mais natural do pênis, uma vez que a ereção é desencadeada pela compressão de uma bombinha instalada no interior da bolsa escrotal, que faz ocorrer ou terminar as ereções sob o comando do paciente).

Todas às vezes que um homem começa a enfrentar problemas de ereção, é importante que ele procure um Urologista e inicie uma investigação. Os tratamentos são individualizados, caso a caso.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Vida sexual real pode ser comprometida pela pornografia on-line.

Recentemente a Folha SP publicou uma matéria muito interessante sobre os efeitos ruins que o vasto conteúdo de material pornográfico exibido pela Web, pode causar na vida sexual do homem, independente da orientação sexual.

Sempre comento com os meus pacientes que me procuram para solucionar problemas de ereção, sobre essa influência negativa da pornografia on-line. Os mais jovens são os mais acometidos, principalmente no início da vida sexual.

Como problemas relacionados à exposição do material pornográfico, cito a queixa muito comum do paciente achar que tem um pênis pequeno, ao se comparar com os atores dos filmes pornográficos. Também a dificuldade para ter uma ereção na hora do ato sexual real, que pode ser diferente do estímulo que a pornografia gera. E pode ser difícil atingir um orgasmo, uma vez que o estímulo que o paciente consegue no pênis através da masturbação, pode ser diferente e até mesmo mais eficiente, que o estímulo provocado pelo ato sexual. Com a mão, o paciente faz a compressão no pênis de uma maneira que mais o excite, faz os movimentos de forma mais rápida ou mais lenta de acordo com o desejo, até atingir o orgasmo.

O acesso ao material pornográfico é cada vez mais facilitado com a disseminação do uso de smartphones e tablets. Some-se a isso a grande variedade de filmes e fotografias, oferecendo continuamente novos estímulos aos pacientes e sabemos que a novidade é um fator muito estimulante à excitação.

O recado é simples: cuidado com a quantidade de vídeos e fotografias de conteúdo pornográfico que você acessa. Fantasiar é bom, mas a realidade é o que conta e no final, é o que vale a pena.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Impotência sexual de origem emocional.

É muito expressiva a quantidade de comentários de leitores expondo suas dificuldades para a ereção peniana e me perguntando como resolver essas questões. E na maioria das vezes são casos de impotência sexual de origem emocional.

E o que é impotência sexual de origem emocional, ou melhor definida como, impotência sexual psicogênica? É a condição do homem que tem o seu organismo normal para apresentar uma ereção, mas que há gatilhos que impedem que ela ocorra ou não se sustente.

Alguns leitores tentam relacionar a tratamentos de Doenças Sexualmente Transmissíveis adquiridas. Muitos com a tensão que envolve o início da prática sexual. E todos sempre comentam que nas masturbações, a ereção é normal. Ou seja, sem o confronto com o que pode atrapalhar, a ereção é normal.

Há opções para ajudar os homens com impotência sexual psicogênica, mas a cura do processo exige uma avaliação e acompanhamento emocional. Nós urologistas oferecemos tratamentos com drogas para manter a ereção (os inibidores de PDE-5, tipo Viagra, Cialis, entre outros), induzir as ereções (normalmente drogas injetáveis no corpo do pênis) e há até mesmo utensílios para serem usados por curto prazo, no máximo 10 minutos, que mantém o pênis rígido, como as bombas de ereção a vácuo.

O importante diante de uma situação como essa, é procurar um urologista, expor as queixas e receber uma orientação adequada ao momento que o paciente vive. Não dá para generalizar um tratamento para todos os homens que passam por essa situação.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Impotência sexual e cirurgia da próstata.

Percebo que muitos homens acreditam que a cirurgia da próstata acarreta a impotência sexual, com perda definitiva das ereções penianas. O motivo desta postagem é mostrar que não é isso que ocorre na maioria das vezes.

Existem dois tipos de doenças da próstata que podem levar à indicação de cirurgia:
1. a doença benigna, mais conhecida como Hipertrogia Benigna da Próstata.
2. A doença maligna, cancerígena, mais acarretada pelo Adenocarcinoma da Próstata.

As cirurgias mais agressivas são as  indicadas para o tratamento do câncer, o adenocarcinoma mais frequentemente. Ao se submeter a essas cirurgias, existe o risco para complicações no pós-operatório como impotência sexual e incontinência urinária, temporárias ou definitivas. Isso porque a próstata precisa ser totalmente retirada e nesse momento, há o risco do cirurgião comprometer os nervos e as estruturas musculares que geram o controle da urina e permitem que as ereções ocorram. 

Já as cirurgias para o crescimento benigno, como só é retirado o que cresceu a mais, não há necessidade da retirada da próstata inteira e assim, o risco para danos das estruturas praticamente inexiste.

Para que essas complicações não aconteçam, é importante escolher um cirurgião experiente, conhecedor de técnicas existentes desde 1982 e apresentadas pelo Urologista americano Patrick Walsh, capazes de preservar no ato da cirurgia, os nervos responsáveis pela ereção e poupá-los de uma lesão intraoperatória.

Existem três vias para a realização dessa cirurgia:

  •  a com incisão abdominal
  •  a laparoscopia (conhecida como a “cirurgia dos furinhos na barriga”)
  •  a robótica (também executada com entrada das pinças robóticas por orifícios abdominais).

A cirurgia que tudo indica será a indicação padrão para o tratamento do câncer de próstata no futuro, embora já seja realizada atualmente em muitos grandes centros, São Paulo inclusive, será a robótica. Mas a laparoscopia, assim como a cirurgia com incisão, ainda são muito executadas. O importante é que o cirurgião tenha experiência com a técnica a ser executada e assim, assegurar bons resultados de cura do câncer, mantendo a continência urinária e a potência sexual.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Saiba quando prostatites e uretrites, devem ser tratadas pelo casal.

Um leitor me indaga se pelo fato do parceiro dele estar com uma infecção urinária (no caso, uma prostatite que tudo indica foi adquirida pela penetração anal sem preservativo), se ele também deveria ser medicado. 

No caso das relações sexuais em que a penetração anal existe sem uso de preservativos, há sempre o risco de se contrair uma infecção urinária, como uma prostatite e/ou uma uretrite (que provoca corrimento pelo canal urinário). Isso porque a região do reto é colonizada por bactérias que ali precisam estar, indispensáveis ao metabolismo do intestino. E são essas as bactérias que entram pelo canal urinário do pênis e causam as infecções. 

Há também as infecções urinárias que podem ser adquiridas ao se receber sexo oral desprotegido de preservativos. Os agentes que causam as infecções são diferentes dos que existem na região retal e também não merecem tratamento.

É importante informar que no sexo com penetração anal e no no oral sem preservativos, há também o risco de se contrair infecções por Clamídia, por gonococos que causam a gonorreia e até mesmo vírus que causam os resfriados. Nessas situações, é necessário que ambos sejam tratados, caso contrário com o reinício da atividade sexual, o que não recebeu tratamento voltará a reinfectar o parceiro.

Respondendo então à pergunta do leitor, no caso da prostatite adquirida pelo hábito da penetração anal sem preservativos, não é necessário o cuidado com o tratamento dos dois. Mas volto a informar que é importante que anualmente ambos façam exames, mesmo se sentindo bem, que eliminem a possibilidade de infecções urinárias. Aproveite para realizar os exames de sorologia no sangue para descartar doenças com HIV, Sífilis, Hepatite B e Clamídia.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Os riscos de se ter múltiplos parceiros.

Um leitor me indaga, após ter lido a última postagem deste blog que fala sobre prostatite, se o fato de ele ter um único companheiro, diminui as chances dele ser acometido por uma prostatite.

Evidências científicas apontam para um maior risco para a aquisição de DST (doenças sexualmente transmissíveis), quanto maior forem os parceiros sexuais. Doenças como Síflis, HIV, Clamidia, HPV, Herpes Simplex, Hepatite B tendem a ser mais adquiridas em homens que possuem múltiplos parceiros. O uso de preservativos diminui esse risco, mas como há doenças que se disseminam pelo contato direto com as lesões das doenças (HPV, Herpes, Cancro) que não ficam cobertas pelo preservativo, nem sempre o uso do mesmo impedirá a transmissão da doença. E vale a pena lembrar mais uma vez, que o sexo oral tem sido uma forma comum de disseminação de DST, conforme já citado neste blog antes.

Respondendo à pergunta do leitor, minha opinião é que um parceiro fixo diminui o risco de prostatite, com certeza. Mas se a sua frequência sexual com esse parceiro é intensa, você pode estar mais susceptível ao trauma da próstata quando penetrado por ele, ou estar mais sujeito a contrair as infecções por bactérias que existem na região retal do seu parceiro, caso as relações não sejam com preservativos.

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Prostatite: um risco maior para o homem gay.

A prostatite é uma condição que acomete a próstata, que poder ser somente inflamatória ou também infecciosa. O órgão aumenta de volume devido à inflamação e tende a comprometer agudamente, a forma de micção do homem. Em casos mais severos pode ocorrer febre e até mesmo impossibilidade de urinar. Dor abdominal e na região dos genitais costumam acontecer também.

É uma condição mais frequente no homem adulto, mas não é impossível que acometa um jovem. Normalmente as formas mais comuns dos agentes que causam a infeção atingirem a próstata, é via canal urinário. Mas a contaminação também pode ser sistêmica (pelo sangue, ou por contiguidade).

E porque o homem gay tem um maior risco para apresentar prostatite? Pelo hábito da relação sexual com penetração anal. 

1) Quando é penetrado, pode haver trauma da próstata pelo pênis do parceiro e causar uma prostatite inflamatória. É muito comum escutar como queixa, um homem gay se consultar para saber o porquê do esperma ter se apresentado com sangue, após ter sido penetrado pelo parceiro. 

2) Quando penetra o ânus do parceiro sem preservativo. A região do reto é contaminada e as bactérias que se encontram nessa área, são nocivas ao aparelho urinário. Podem progredir pelo canal urinário e atingir a próstata e quando encontram situação favorável para a contaminação, causam a prostatite infecciosa.

O tratamento da prostatite pode ser simples ou mais complicado. Muitas vezes um antibiótico por no mínimo 02 semanas é suficiente. Para melhorar os sintomas da inflamação (dor abdominal, ardor urinário, frequência miccional intensa), os anti-inflamatórios podem ser úteis. Em casos mais extremos, em que a micção se torna impossível, pode ser necessário a passagem de um cateter na bexiga. Não é frequente, mas se a condição infecciosa for severa, pode ser recomendado uma internação hospitalar.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Exame de toque da próstata: entenda o motivo de fazê-lo.

O exame de toque retal para avaliar a próstata é indispensável à uma boa avaliação do órgão. Muitos homens gays acreditam que o homem não precisa mais realizá-lo, devido ao aparecimento de exames mais especializados, como os de Ressonância Magnética e de sangue para a dosagem do PSA. São exames importantes, com certeza, mas são complementares ao exame físico (o exame de toque retal)

A importância do exame é que ele permite que o seu médico utilize-se de uma percepção sensorial do dedo dele: o tato. Quando queremos saber se algo é áspero ou liso, não passamos a mão para sentir? Quando queremos saber se algo é grande ou pequeno, uma forma de saber é tocá-lo. E para avaliar a temperatura, não aproximamos a mão para sentir se há calor?

Nós urologistas utilizamos o nosso tato para avaliar o tamanho da próstata. Para sentir se há alguma irregularidade na superfície da próstata, como um nódulo. Para avaliar se a próstata está aumentada.E também para avaliarmos a temperatura e os limites do órgão.

Se no exame físico aparece alguma suspeita de algo alterado, aí solicitamos os exames complementares (PSA, Ressonância Magnética, biópsia de próstata em circunstâncias específicas).

Não deixe de fazer o exame anual da próstata se você tiver mais de 50 anos. Ou caso haja histórico de câncer de próstata na família ou se você é afrodescendente, a partir dos 40 anos. E se há um receio de que possa haver uma excitação na hora do exame físico, nós urologistas somos preparados para lidar com essa situação, conforme já foi explicado neste blog numa outra postagem e pode ser acessada pelo eBook (clique aqui para obtê-lo, se desejar)

quarta-feira, 6 de julho de 2016

PSA: uma informação que todo homem gay deve saber.

PSA, que significa Prostatic Specific Antigen (Antígeno Especifico da Próstata), é uma substância produzida pela próstata e que pode se apresentar alterada em algumas situações, como no câncer por exemplo. É um exame que todo urologista solicita ao seu paciente, quando é necessário fazer um check up para descartar o câncer de próstata.

E é nesse momento que as coisas podem ficar mais complicadas: há situações em que o PSA se altera, mas nada perigoso é observado. E às vezes, mesmo sem haver algo de mais perceptível em outros métodos de análise, como um nódulo na próstata percebido pelo exame de toque ou sugerido por uma Ressonância Magnética, uma biópsia de próstata é necessária. A biópsia não é livre de complicações, do tipo hemorragias ou infecções severas e, por esse motivo, sua indicação deve ser bem estudada e sempre que possível, evitada.

Esse postagem é um alerta ao homem gay. Tenho visto pacientes com indicação de realizar a biópsia, só por causa do aumento do PSA. É importante salientar que há situações que, no caso do sexo entre homens, podem acarretar o aumento do PSA, sem significar que há um tumor.

O homem gay quando é penetrado pelo pênis do seu parceiro, dependendo da forma como a penetração anal é feita, pode haver uma compressão da próstata pelo pênis e elevar transitoriamente o PSA.

Sexo entre homens sem preservativos permite que na penetração anal, ocorra a entrada de bactérias pelo canal urinário do pênis, podendo acarretar uma inflamação e/ou uma infecção, conhecida como prostatite, que também eleva o PSA.

Então é importante que o urologista tenha esse conhecimento, do hábito de praticar sexo com outro homem, pois assim ele poderá evitar uma biópsia de próstata. Vai solicitar para que o paciente não seja penetrado pelo seu parceiro por uma semana antes do pedir o exame de PSA e vai solicitar um exame do esperma para descartar as prostatites. 

segunda-feira, 27 de junho de 2016

A utilidade das bombas de vácuo para o pênis.

A indicação para o uso das bombas de vácuo no pênis de um paciente, é única: melhorar a rigidez do pênis enquanto em ereção. E tem uma indicação limitada após o aparecimento das drogas que ajudam o homem a ter uma ereção, como Viagra, Cialis e Levitra para citar algumas, embora seja um dos artefatos mais antigos para o auxílio no combate às dificuldades para a ereção.

Não tem indicação e nem eficácia comprovada, para o uso com a finalidade de aumentar o tamanho do pênis. Para essa finalidade, os extensores penianos são os que oferecem melhor resultado, conforme já explicado nesse blog numa postagem mais antiga.

O aparelho é aplicado pelo próprio paciente, que o acopla de forma que o pênis fique dentro da câmara e comprimido à base. Com o auxílio da bomba (hoje há as manuais e as elétricas), é criado um ambiente de vácuo, que acaba sendo responsável pela entrada do sangue no interior do pênis e induz a ereção. Para que a ereção não se perca após a retirada do aparelho, é colocada uma banda elástica na base do pênis, que funciona comprimindo e obstruindo a saída desse sangue,  mantendo a ereção. Sua utilização é recomendada por no máximo 10 minutos e apesar de diminuir a sensibilidade do pênis, permite que a penetração aconteça e ainda é uma alternativa (*) às cirurgias para a colocação de uma prótese ou às terapias de injeção intrapenianas.

A indicação ideal para o uso das bombas de vácuo é para os casos de homens que não podem tomar as drogas inibidoras de PDE-5 (como as citadas no primeiro parágrafo) por motivos cardiológicos ou que já não respondem mais a esse tipo de tratamento, ou que querem uma alternativa às terapias mais invasivas, conforme citado acima(*)






segunda-feira, 6 de junho de 2016

Candidíase.

Acredito que a maioria dos homens já foi vítima da Candidíase no pênis. E o que é a candidíase peniana? É um processo infeccioso causado pelo fungo chamado de Candida e que tem vários tipos, sendo a Candida albicans, a mais conhecida.

Conforme ilustração abaixo, aparece uma vermelhidão na glande, algumas vezes com secreção e que se acompanha de queixas locais, sendo a coceira a mais frequente, mas o ardor também pode se manifestar.
Homens com pênis não circuncidados, os "uncuts" (leia post publicado no passado falando sobre essa condição: http://uroblogay.blogspot.com.br/2013/10/cut-ou-uncut-o-que-essas-palavras-em.html), são mais vulneráveis ainda. O excesso de pele contribui para um maior acúmulo de suor, secreções e facilita a proliferação dos agentes infecciosos.

O sexo é uma das formas de se disseminar o fungo e como a Candida pode infectar a cavidade oral, o sexo oral é uma forma de contaminação. Mas nem sempre ele é o responsável, já que terapias prolongadas com antibióticos, queda de imunidade e fatores locais (como o caso dos pênis uncut) também podem facilitar. Situações como permanecer com roupas úmidas em dias de piscina e/ou praia, também podem facilitar o aparecimento.

Um boa dica para amenizar o risco de se apresentar candidíase peniana é o uso de Água Boricada! Tenha sempre com você um frasco e diariamente, após os banhos, faça uma limpeza do seu pênis na região da glande e da parte logo adjacente (chamada de sulco balânico). Nem precisa enxugar. Passe a água boricada com auxílio de algodão ou gaze e ,com ela úmida ainda, puxe o prepúcio de volta para cobrir a glande, se você for um uncut.

Às vezes é necessário um tratamento com antifúngico e o fluconazol em dose única costuma ser muito eficaz. Também há a possibilidade de aplicação de cremes antifúngicos. Infelizmente cepas mais agressivas da Candida podem tornar o tratamento mais difícil e nesse caso, terapias mais agressivas e invasivas, serão necessárias.

terça-feira, 17 de maio de 2016

Ações que previnem o câncer de próstata.

Muitos leitores me escrevem, perguntando o que pode ser feito para evitar um câncer na próstata. Hoje vou tentar resumir aqui, quais ações podem diminuir o risco para esse tipo de doença.

Importante citar que há grupos de homens mais suscetíveis a ter câncer na próstata. São os que têm histórico familiar da doença (avôs, pai, irmãos, tios), os afrodescendentes e homens expostos ao regime alimentar rico em calorias, gordura animal e carne vermelha.

Vamos às ações preventivas:

1) Atividade física regular, aeróbica, de 3 a 4 vezes por semana. O impacto preventivo na prevenção de câncer é muito positivo.

2) Ingerir alimentos ricos em ômega 3, naturalmente. Isso é encontrado principalmente nos peixes de água salgada, como salmão, atum e sardinha. Os suplementos não oferecem esse benefício.

3) Evitar no dia a dia as carnes vermelhas, principalmente as carnes processadas (embutidos, enlatados) e ter ciência que quanto mais cozida a carne for, mais substâncias tóxicas ela elimina no corpo.

4) Ingesta regular de frutas da cor vermelha, que são ricas em licopeno e protegem a próstata. São frutas como melancia, goiaba vermelha, tomates cozidos, frutas da família das berries (amora, morango, pitanga, framboesa, mirtilo que é conhecida também como blueberry)

5) Prevenir-se de infecções na próstata, chamadas de prostatite, na maioria das vezes causadas pela entrada de agentes infecciosos pelo canal urinário. O hábito da penetração anal sem preservativo, aumenta o risco para as infecções. É muito comum que casais de homens gays, com o passar do tempo, parem de usar os preservativos e a longo prazo essa exposição do pênis ao ambiente retal, aumenta o risco para as infecções, principalmente a partir dos 40 anos, quando a próstata começa a crescer naturalmente.

6) Evitar o sobrepeso e a obesidade. Com uma dieta balanceada e mantendo a atividade física como sugere o item 1, o corpo se beneficiará, pois sabe-se que o ganho de peso vem associado a uma maior probabilidade de doenças, sendo o câncer uma delas.

É muito importante citar que o câncer na próstata tem cura, mas para que isso possa ser oferecido, é importante que o diagnóstico seja feito na fase inicial da doença, quando é muito raro o paciente ter alguma queixa para urinar. Não espere pelas queixas e aja prevenindo-se com exames regulares (consulta com exame físico num urologista e exames complementares de sangue e imagem).

Homens que fazem parte do grupo com maior incidência da doença, têm histórico familiar de câncer na próstata, mesmo sem queixas para urinar, devem iniciar o check up aos 40 anos. Os demais a partir dos 50 anos.

Sempre que houver alguma dificuldade ou queixa para urinar, ou desordens no aspecto do esperma, independente da faixa etária em que se encontrem, é importante passar por uma avaliação médica com um urologista.


 

terça-feira, 3 de maio de 2016

Ejacular mais vezes, diminui o risco de câncer na próstata.

Perguntas comuns de leitores neste blog, referem-se ao que pode ser feito para diminuir ou prevenir o câncer na próstata. Um estudo acaba de comprovar que homens que têm uma maior frequência de ejaculação por mês, apresentam menor índice de câncer na próstata. Ou seja, homens podem diminuir o risco para esse tipo de doença, aumentando sua frequência de ejaculação.

O estudo analisou aproximadamente 31.000 homens, com idade em torno dos 59 anos, no período de 1992 a 2010. No inicio da avaliação, eles preencheram um formulário informando quantas ejaculações tinham por mês, em três períodos de idade: dos 20 aos 29 anos, dos 40 aos 49 anos e no ano anterior (quando a maioria tinha por volta de 58 anos) Os cientistas puderam observar que homens com frequência de 21 ejaculações por mês, apresentaram 20% menos risco para desenvolver o câncer na próstata. E aqueles com 8 a 12 ejaculações por mês, 10% menos risco. Não foi observado nenhuma relação entre a frequência de ejaculações e a agressividade do tumor.

Porém é importante salientar uma coisa. Foi visto que homens que se enquadravam nesse grupo de 21 ejaculações por mês, tinham hábitos como maior ingesta de calorias, ingesta de bebidas alcoólicas, contraíram mais DST (doença sexualmente transmissível) como sífilis e gonorreia. Também eram fumantes ou ex-fumantes. Esses achados fizeram os cientistas acreditarem que a morte desses pacientes, deve-se mais às doenças que se manifestam em maior prevalência nesses pacientes com esses tipos de hábitos.

O que devemos pensar então? Se há dados que mostram que numa população que ejacula mais, o índice de câncer de próstata diminui, manter o hábito de sexo seguro, evitando contrair DST, pode proteger o homem de alguma forma, desde que as ejaculações tenham sido e sejam frequentes, de no mínimo 10 vezes por mês ou preferencialmente, acima de 21 vezes.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Pênis uncut e sensibilidade.

É muito frequente que eu seja indagado se a cirurgia de circuncisão, por ter como resultado final uma glande totalmente descoberta (conhecido como pênis cut), afeta a sensibilidade do pênis de um homem. Escuto até mesmo de pacientes que passaram pela cirurgia, essa queixa de perda da sensibilidade na glande após a cirurgia. E muitos homens pensam que a circuncisão diminui a sensibilidade da glande e portanto, pode ser uma alternativa de tratamento ao quadro de ejaculação prematura, rápida.

Apesar de tudo isso que acabei de citar, hoje há evidência científica que faz com que repensemos esse conceito, de perda da sensibilidade na glande após a circuncisão. Um novo estudo mostra que não há comprometimento sobre a sensibilidade e desafia-nos a repensar sobre o que imaginávamos sobre o prepúcio, esse excesso de pele que é retirado com a cirurgia. Há um estudo realizado no Canadá avaliando 62 homens com idade entre 18 e 37 anos, sendo 30 pacientes circuncidados assim que nasceram e 32 ainda com o excesso de prepúcio.

Os homens foram submetidos a teste de sensibilidade no pênis avaliando quanto ao tato, à percepção de calor e diferentes estímulos em intensidade à dor, em diferentes áreas do pênis. E por um período de 4 semanas, esses homens tiveram que informar sobre o grau de prazer sexual, qualidade do orgasmo e desejo sexual. Ao final do estudo, concluiu-se que não havia diferença nos relatos dos homens no geral, independente de serem ou não circundados. Cientistas afirmaram então, que a circuncisão quando feita no nascimento, não impacta na qualidade sexual dos homens.

E quando a circuncisão é feita como um procedimento para a cura da fimose, num paciente já na infância, ou na juventude ou até mesmo na fase adulta? Quanto a essa informação, ainda não há nenhum estudo para termos um posicionamento. Mas sob meu ponto de vista e a minha experiência profissional, homens que se submetem à cirurgia nas fases adultas, relatam sim um impacto na sensibilidade do pênis.

Concluindo: acredito que homens que desejam realizar a cirurgia para a retirada do excesso de prepúcio, o façam porque têm fimose com suas respectivas complicações. A cirurgia realizada com finalidade estética pode modificar o prazer sexual, dependendo do quanto que a sensibilidade na glande, interfere nas sensações de tato, dor e calor.


terça-feira, 12 de abril de 2016

Líquido de lubrificação uretral: porque alguns homens têm, às vezes muito, e outros não.

O líquido de lubrificação uretral é produzido pelas glândulas de Cowper, que existem ao redor do canal urinário (uretra) do pênis. Esse líquido é produzido em situações de excitação, às vezes nem é necessário que exista ereção, e que tem como objetivo, preparar a uretra para a saída do sêmen com os espermatozoides.

Duas situações interferem na quantidade da produção desse líquido:


a) o grau de excitação do homem- quanto mais estimulado sexualmente o homem se apresentar, mais contínua e intensa tende a ser a produção desse líquido. Homens podem de uma hora para a outra passarem a produzir esse líquido, caso sejam intensamente provocados e excitados, mas também a medida que a situação vai ficando mais comum, sem muitas novidades, essa produção pode diminuir.

b) a quantidade de glândulas que um homem pode ter. Uma relação diretamente proporcional: quanto mais glândulas, maior a produção.

Dificilmente se encontram espermatozóides nesse líquido, já que ele não é decorrente de uma ejaculação. Teoricamente não é possível engravidar nenhuma mulher, expondo-a somente a este líquido. Importante não confundir esse líquido com o liquido prostático, esse sim rico em espermatozoides.

Quanto às doenças sexualmente transmissíveis, pode-se encontrar bactérias, fungos e vírus nele. Caso o homem possua alguma infecção uretral ou viral, pode contaminar o seu parceiro mesmo que não ejacule.

Alguns homens podem apresentar irritações penianas devido a essa produção acentuada, que permite que o pênis, principalmente os uncuts, mantenha-se constante úmido. Fungos e bactérias da pele muitas vezes se aproveitam dessa situação para gerar irritações da pele. A higiene frequente da área com água boricada, pode amenizar. Não melhorando, uma avaliação médica é necessária.

Não há formas de se diminuir a produção do líquido de lubrificação uretral. Muitas vezes, com o amadurecimento de um relacionamento, essa produção pode diminuir. Mas não há nada a ser feito a curto prazo, para reduzir esse incômodo.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Informações sobre o aumento do pênis com extensor peniano.

A última postagem recebeu um grande número de comentários, pedindo informações sobre marcas e método de utilização dos extensores penianos. Essa postagem vem abordar mais uma vez o assunto e aqui você obterá as informações, baseadas em evidências científicas.

Trabalhos divulgados no último congresso da European Association of Urology, expuseram os resultados dos testes feitos com três produtos.
  1. Andro-Penis e nesse caso, os trabalhos registraram aumentos no tamanho do pênis de no máximo 2,5cm.
  2. Golden Erect que o estudo mostrou aumento de até 1,5cm
  3. Fast Size e nesse caso, o ganho de aumento variou de 1 a 2cm. 
Importante salientar que o aumento dos tamanhos dos pênis foram registrados após um período de terapia de 12 meses. Não houve alteração no diâmetro do pênis, somente no tamanho em comprimento.

O tempo de aplicação dos extensores variou de 4 a 6 horas por dia, que era determinado de acordo com o grau de tolerância dos pacientes, em suportar a tração contínua. Muitos pacientes relatam desconforto insuportável e acabam por deixar de lado a terapia.

Pacientes são orientados a procurar um urologista, caso tenham interesse pela terapia, para que possam obter informações sobre a utilização do extensor.

quarta-feira, 23 de março de 2016

Como o homem adulto pode aumentar o pênis.

Existe muita propaganda sobre terapias que levam a um aumento do pênis de um homem adulto, ou seja, com mais de 21 anos. São bombas a vácuo, substâncias injetáveis e massagens alongadoras.

Você já ouviu falar dos extensores penianos? A foto ao lado mostra um tipo de extensor peniano. De acordo com as informações liberadas no último congresso anual da European Association of Urology, essa é a primeira linha de tratamento para o homem adulto que deseja aumentar o seu pênis.

Num artigo publicado em 2009, realizado por cientistas em Turim na Itália (clique aqui para ter acesso ao artigo), já se citava os bons resultados com esse tipo de tratamento.

Agora foi confirmado que esse tipo de tratamento é eficiente e que em alguns casos, o paciente consegue até 2,5cm de aumento peniano. Tudo vai depender da escolha do tipo de extensor e da forma como usá-lo no dia a dia.

O tratamento com as bombas a vácuo não se mostrou eficiente e os tratamentos com preenchimento, "fillers" como é citado pelos cientistas, com metacrilato, silicone para citar alguns, faz o pênis ganhar em largura e não em tamanho. E podem causar muitas complicações, sendo muitas vezes necessário a realização de cirurgias para reparar as complicações causadas por esses produtos.

Abaixo, uma foto onde pode ser visto, como é a forma de se utilizar o extensor peniano.




quarta-feira, 2 de março de 2016

Meu parceiro sexual é HIV positivo: e agora?

Não há uma semana que eu não atenda um paciente na Clínica CZ , me procurando para esclarecer dúvidas sobre o relacionamento sexual com um parceiro HIV positivo. Essa postagem tem como objetivo, expressar a minha opinião sobre essa questão e disponibilizar informações baseadas em dados concretos.

O que eu percebo, é que essa preocupação é externada a partir do momento que o relacionamento envolve sentimento. O paciente me procura pois tem interesse em manter este relacionamento, o que significa novos atos sexuais e por mais que existam informações sobre como se prevenir contra a contaminação pelo vírus HIV, disponibilizadas em vários canais de informação, sinto que a continuidade gera uma aflição com o risco real de estar mais exposto a uma possível contaminação.

Sabemos que hoje em dia, um homem que sabe ser portador do vírus HIV e vem fazendo corretamente o tratamento e o acompanhamento dessa contaminação, caso esteja com a carga viral no sangue zerada decorrente do tratamento das drogas que fazem parte do coquetel, não transmite a doença pelo sexo. Mas como há uma chance mínima desse paciente em algum momento ter a sua carga viral positivada novamente, sempre é bom manter a proteção com o uso correto do preservativo.

Infelizmente há muitos homens HIV positivos e que sequer desconfiam disso. Ou não sabem porque têm receio de procurar um médico para realizar exames de diagnóstico, ou foram contaminados logo após terem realizados exames que aparentemente mostravam que ele não estava contaminado. E esse homem HIV positivo hoje em dia é uma preocupação, pois está portando o vírus e se não toma cuidados para se proteger, pode contaminar um outro homem. Por isso tanta campanha para que as pessoas realizem exames. Sendo positivas para a contaminação pelo vírus HIV, logo iniciarão o tratamento e não mais o transmitirão, assim que a carga viral zerar no sangue.

Então vou relatar aqui o que aqueles que desejam manter um contato íntimo e repetitivo com um homem HIV positivo, escutam de mim quando me procuram em consulta médica:

1) O sentimento aflorou e há interesse em dar continuidade a este relacionamento: siga o seu coração e vá em frente. Mas faça uso correto dos preservativos. Havendo algum acidente ou descuido nessa proteção, procure um médico, exponha a situação e tome uma atitude. Se você como parceiro dele, estiver ciente da situação de saúde dele, ou seja, tiver conhecimento de que a carga viral está zerada, os acidentes não o amedrontarão, certo? 

2) Me perguntam se é verdade que pacientes HIV positivos em tratamento correto, já podem ter relações sem preservativos. Eu respondo que a ciência já tem comprovado isso, mas tem que haver certeza de que a carga viral está zerada. E só quem pode ter a certeza disso, é o paciente que está infectado. Ou seja, a confiança tem que ser total para que você tome a atitude de abandonar a proteção. A decisão é do paciente e não sua, pois é ele que tem esse real conhecimento.

3) E sempre é bom recordar as formas corretas de se utilizar um preservativo, assunto já abordado outras vezes nesse blog, em postagens anteriores. Lembre-se que o sexo com penetração, tanto como ativo e passivo, assim como o receber e praticar o sexo oral, quando realizado sem preservativos, aumenta, e muito, a transmissão de doenças como HIV, Sífilis, Clamídia, só para citar as mais frequentes.

 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Bombas a vácuo para ereção peniana.

Muitos leitores me indagam sobre a ação de bombas que provocam a ereção peniana em ambiente de vácuo. Muitos até acreditam que esse aparelho pode promover o aumento do pênis, como muitas vezes isso é anunciado.

Não existe nenhuma evidência científica que comprove essa ação, que leva ao aumento do pênis. As bombas que promovem uma ereção se utilizam da criação de um ambiente de vácuo. A bomba "suga" o sangue para dentro do pênis e por isso leva a um aumento do pênis principalmente no diâmetro (percebe-se as veias ao longo do corpo peniano bem engurgitadas, dilatadas, enquanto se cria o ambiente de vácuo dentro do aparelho), desde que haja uma correta pressão do aparelho na base do pênis e que é mantido com a colocação de um elástico compressor, que impede o retorno do sangue para o corpo. Mas após a liberação do fluxo de sangue mantido por constricção dentro do pênis, ele retoma o tamanho anterior.

Mais recentemente esse aparelho passou a ser usado na recuperação da atividade sexual do homem que foi submetido a uma cirurgia de retirada da próstata devido a um câncer (cirurgia conhecida como prostatectomia radical). Muitos homens se queixam da diminuição do pênis após a cirurgia e foi comprovado, que essa diminuição era causada por uma atrofia das células dos vasos sanguíneos, praticamente inativas devido à falta de ereção, muito comum temporária ou definitivamente após a cirurgia. A ação de promover a ereção com o auxílio da bomba, faz com que se evite a falta de fluxo sangue para essas células, evitando que elas se atrofiem, o que levaria realmente à diminuição do pênis.

E isso gerou dúvidas. Leitores me indagaram se esse fluxo aumentado, também não leva ao aumento do pênis. Eu digo que esse fluxo aumentado mantém as células em atividade, mas não faz com que elas aumentem e muito menos se proliferem, ou seja, não levam ao aumento do pênis.

Na minha opinião, essa bomba deve ser indicada nessas situações apenas:
a) auxiliando nos processos de dificuldade para sustentar uma ereção.
b) na reabilitação no pós-operatório de cirurgia de próstata, visando diminuir os riscos da diminuição do pênis.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Pênis embutido.

Um leitor me indaga sobre excesso de peso e tamanho do pênis. Se apresenta como homem afrodescendente e tudo indica, obeso. Informa ter um pênis com 13cm de comprimento e  com diâmetro de 12cm na largura. Me indaga se uma lipoaspiração poderia levar ao aumento do pênis, pois considera ser portador de um pênis pequeno por ser um afrodescendente.

É impressionante como o tamanho de pênis tem importância para a maioria dos homens, mesmo havendo algumas postagens neste blog, comentando sobre o que é considerado normal para o tamanho de pênis.

Esse leitor por exemplo, tem até uma expectativa de um pênis maior pelo fato de ser afrodescendente. Há esse mito que afrodescendentes têm pênis maiores, com o que eu não posso concordar. E se formos avaliar a grossura do pênis que ele cita ter, observamos que se trata de um pênis com medidas acima da grande maioria. Mas ele está preocupado com o tamanho.

E por final, indaga sobre lipoaspiração. Cita que mesmo tendo perdido peso, não foi suficiente para perder a gordura que fica sobre o pênis, na região dos pelos pubianos. E aproveito a citação, para citar a condição de pênis embutido.

Pênis embutido é o pênis que devido ao excesso de gordura na região genital, principalmente na região dos pelos pubianos, é engolido por esse gordura. O pênis pode até desaparecer, engolido pela gordura, o que muitas vezes pode levar a situações de infecção local devido à dificuldade de higienização após as micções e/ou ejaculações.

Alguns pacientes me procuram para solucionar o que eles consideram ser um pênis pequeno e ao constatar que o pênis está englobado pelo excesso de gordura, só de comprimir a região e expor o pênis, já deixo o paciente com um sorriso de felicidade, por permitir que ele veja um pênis que ele não via.

Então a lipoaspiração dessa região pode sim fazer com o que o pênis fique mais exposto, mas não mudará em nada o tamanho original dele. Os 13 centímetros, ou qualquer outra medida, continuarão a ser os mesmos 13 centímetros, só que mais expostos e dando a sensação agradável de que houve um aumento no órgão.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Que venha o Carnaval!

Dentro de alguns dias, estaremos começando a comemorar o Carnaval 2016 e alguns conselhos não fazem mal a ninguém.

Vai beber? Lembre-se que quando sob o efeito de drogas, como o álcool, o homem costuma esquecer de tomar cuidados na hora da prevenção. Encha os bolsos de preservativos e caia na folia sem receio. 

Vai beijar? Beije muito, mas se for além disso e não conhecer o parceiro, ponha assim que possível o preservativo. Depois pode ficar complicado, quando a temperatura corporal subir e a excitação tomar conta de você. E exija o mesmo do parceiro, até mesmo se só rolar um sexo oral.

Pisou na bola e se relacionou sem proteção? Está em dúvida? O melhor é procurar um Posto de Saúde dentro das próximas 72 horas e começar o tratamento de prevenção com drogas que podem inibir a contaminação pelo vírus HIV. Embora pesquisas recentes mostrem que 91% dos homens HIV positivos e em tratamento por no mínimo 6 meses com antiretrovirais estejam com carga viral zerada e assim, não transmissores do vírus, é bom se proteger.

Acabou a folia e dias depois apareceram lesões no pênis ou bolsa escrotal, ou até mesmo algum desconforto no canal urinário, podendo ter secreção ou não, procure o seu Urologista de confiança. Não fique esperando curar-se espontaneamente.

Bom Carnaval para todos vocês e caiam na folia. Aos que não curtem tanto, bons dias de descanso!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

“Viagra vicia?”, me indagam os leitores.

As drogas do grupo de inibidores de PDE-5 (Viagra (Pfizer)- sildenafila, Cialis (Lilly)- tadalafila, Levitra (Bayer)- vardenafila, as mais populares) usadas para tratar a impotência sexual, se tornaram muito populares e hoje são usadas em larga escala, até mesmo por quem não apresenta problemas. São usadas por homens, idosos ou não, para turbinar a atividade sexual por serem drogas que tornam as ereções penianas mais intensas e mais duradouras.

E esse pode ser o problema que gera o “vício”. Se a ereção é mais intensa e mais duradoura sob a ação das drogas, não há o que fazer para que elas continuem assim sem o medicamento. Ou seja, se o homem quer esse tipo de ereção, vai ficar dependente do medicamento. E o receio de que sem ele a ereção não ocorra, muitas vezes impede que o homem enfrente uma relação sexual sem o medicamento.

A minha sugestão é para que o homem avalie bem o uso do medicamento, quando não há uma indicação médica. Sim, muitos homens compram e tomam por conta própria o medicamento. Não será possível fazer com que uma ereção mais rígida e mais duradoura como a que se observa sob a ação da droga, se repita sem intervenção terapêutica no futuro.


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Alimentos que diminuem o risco de impotência sexual.

Hoje vou escrever sobre hábitos alimentares que diminuem o risco para o aparecimento de impotência sexual, conhecida como disfunção erétil.

Hábitos de vida, incluídos os alimentares, têm papel importante na saúde do futuro dos homens. Isso todo mundo está cansado de saber. Mudanças para adotar hábitos saudáveis têm que ocorrer hoje para que você se beneficie no futuro.

Artigo recentemente publicado pela NBC News fala sobre os benefícios dos alimentos ricos em flavonoides. Homens que ingerem regularmente alimentos ricos em flavonoides, têm o risco diminuído em no mínimo 14% para desenvolver disfunção erétil, se adotarem o hábito de ingerir alimentos ricos em flavonoides 3x/ semana. 

E quais são os exemplos de alimentos ricos em flavonoides? São as famosas "berry fruits", como amoras, morangos, framboesas. Frutas cítricas também são ricas em flavonoides e a ingesta de vinho também proporciona essa proteção, devido à presença desse componente.

Observa-se uma estreita relação entre os benefícios alimentares para a função sexual e a função cardíaca, como cita o artigo publicado. E claro que hábitos de atividade física regular e evitar vícios como o tabagismo, também aumentam mais ainda os benefícios de prevenção.

Então, que tal adaptar o seu cardápio e acrescentar doses diárias de laranja, limão, tangerina, amoras, morangos e/ou framboesas? E para tornar isso mais gostoso ainda, se é que você gosta, que tal uma taça de vinho tinto à noite? E não se esqueça de se exercitar! 

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Estados Unidos começam a experimentar o transplante de pênis.

O tema da postagem de hoje é interessante a todas as pessoas, não só ao homem gay. É sobre o fato dos Estados Unidos experimentarem em breve, a realização de transplante de pênis. Sessenta casos serão realizados e se forem bem sucedidos, o país avaliará a possibilidade de transformar o procedimento acessível à população geral.

Os homens que participarão do experimento são soldados que foram feridos na região dos genitais e os órgãos (pênis) foram doados com consentimento dos familiares do falecido.

O objetivo é devolver ao homem mutilado, condição para a micção e para o ato sexual. O paciente transplantado deverá tomar para o resto da vida, medicamentos para evitar a rejeição do novo pênis e acredita-se que sejam necessários de 6 a 12 meses, para que as funções miccional e sexual se restabeleçam.

Dois casos de transplante de pênis já foram realizados no mundo. O primeiro em 2006 na China, mas o paciente solicitou a retirada do órgão por não ter conseguido se adaptar e aceitar o novo pênis. O outro foi realizado na África do Sul em 2014 e foi um sucesso, já tendo o paciente conseguido engravidar a parceira sexual.

Para acessar texto divulgado pela ISSM, clique aqui.