"O MAL SÓ TRIUNFA QUANDO OS HOMENS DE BEM NADA FAZEM". Edmund Burke.

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Cuide dos seus testículos!


Os testículos são responsáveis pela produção do hormônio masculino, a testosterona, que tem papel importante no aparecimento dos traços masculinos e também na função sexual masculina. Nos testículos também existem as células que produzem os espermatozoides, essenciais à reprodução.

Os testículos ficam "pendurados" no interior da bolsa escrotal e essa localização é fundamental para o perfeito funcionamento dos mesmos, pois precisam se manter com temperatura mais baixa do que a do corpo. Porém, essa localização faz com que eles fiquem mais vulneráveis aos traumas e algumas precauções devem ser tomadas:

1) faça uso de suspensórios escrotais na prática de esportes com movimentação intensa, rápida, como no futebol, no basquetebol e semelhantes.

2)  Use o cinto de segurança quando dentro de um carro, independente de você ser o motorista.

3) Seja cauteloso ao andar de bicicleta ou em atitudes semelhantes em que tenha que se manter sentado, com as pernas abertas e a bolsa escrotal no meio (andar a cavalo, motocicleta, etc..)

4) Cuidado ao manipular máquinas industriais, se essa é a sua área de atuação profissional (há muitos acidentes envolvendo os genitais masculinos para quem trabalha com maquinaria industrial).

Também é importante lembrar de realizar o auto-exame pelo menos uma vez por mês. Leia como fazê-lo:

a) após o banho, relaxado, mantenha-se em pé.

b) tente ver se vê algum inchaço na bolsa escrotal.

c) segurando o escroto, palpe com delicadeza seus testículos (sim, os testículos são bem sensíveis ao toque) e observe se há algo que você considere estranho. É normal que haja uma diferença de tamanho entre eles, mas discreta. E o testículo não é exatamente igual a um ovo, há estruturas ao redor dele, uma delas se chama epidídimo.

d) caso perceba algum caroço, ou dor, ou algo que te preocupe, faça contato com o seu médico (você já deve ter um urologista para contatar, certo? Ele também pode te orientar a como fazer o auto-exame). E se perceber algum hematoma, sangramento, inchaço importante e dor forte, faça contato rapidamente.




segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Encontrar parceiros sexuais por App, está associado a maior risco de ter doenças.

 J

Já se suspeitava mas agora já há um trabalho que evidencia que encontros de parceiros para sexo por aplicativos, está associado a um maior risco de contrair Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). Pessoas que se arriscam nessa busca, costumam ter mais comportamentos de risco para adquirir DST. O estudo foi feito na Suécia, envolveu aproximadamente 9.500 pessoas. 

Dos homens que participaram do estudo, 2 a 3% relataram ser gays ou bissexuais. Observou-se que 11% do total de homens participantes havia escolhido um parceiro para sexo pelos apps, sendo que a maioria deles era jovem na faixa etária de 16 a 29 anos e a faixa menos comum, era de homens com mais de 49 anos. Nos da faixa etária entre 30 e 49 anos, 14% também escolheram parceiros por apps. Os homens gays foram os que declararam maior taxa de escolha de parceiros online= 2/3.

Encontros marcados online também estavam associados a um comportamento sexual de maior risco para a transmissão de doenças, como não usar preservativos no ato sexual, testado positivo para alguma DST no último ano e sexo pago.

Todas essas informações são úteis para futuras campanhas de prevenção para o risco de transmissão de DST, principalmente no grupo de homens de 30 a 44 anos, não acostumados a consultas rotineiras com médicos. Vale o alerta!





quinta-feira, 5 de novembro de 2020

NOVEMBRO AZUL! Prevenção do câncer de próstata.

 


Novembro é o mês de se fazer a campanha do câncer de próstata e você, homem, deve avaliar se já não é o caso de procurar um urologista, para fazer os exames preventivos que podem diagnosticar um câncer na próstata, que está lá quieto, silencioso.

Quem deve procurar um urologista?

1) Homens afrodescendentes acima dos 45 anos, já que nesse grupo a incidência da doença é mais frequente.

2) Homens acima dos 45 anos com histórico de câncer de próstata na família (pai, avô, irmãos, tios). Homens obesos, uma vez que a obesidade aumenta o risco para se ter câncer na próstata.

3) Homens sem antecedentes familiares e que não participam das situações citadas acima, após os 50 anos.

O que será feito?

Primeiro o urologista irá conversar com você, objetivando colher dados que possam já fazê-lo suspeitar da possibilidade do câncer estar presente. Irá perguntar sobre os seus hábitos de micção, avaliar a qualidade do jato de urina que você apresenta ao urinar e tentar descobrir algum antecedente de doença urológica.

Depois o urologista fará o exame físico e é nesse momento que ocorrerá o exame de próstata, através do toque retal, com a introdução do dedo pelo ânus.

E por último ele avaliará, e provavelmente solicitará, exames complementares: ultrassonografias, exames de sangue (PSA- Prostatic Specific Antigen), de urina e eventualmente uma Ressonância Magnética da próstata.



Ao final da consulta, nós urologistas na maioria das vezes já temos noção se é um caso suspeito, ou não, de câncer na próstata. Mas serão os exames complementares que permitirão nos orientar sobre o diagnóstico final. Então, não deixe de retornar em consulta com os exames, mesmo que você considere que os resultados foram normais (hoje em dia a maioria dos pacientes tem acesso aos resultados dos exames antes mesmo dos médicos).